Terreiro fechado, coração aberto

Assim como foi recomendado pelas autoridades, qualquer templo ou instituição religiosa deve nesse momento estar fechado para evitar a aglomeração de pessoas. É muito triste que, justamente nesse momento em que tanto precisamos de esperança, consolo e fé, seja necessário abrir mão das nossas giras.

Nas próximas semanas não poderemos pedir a benção a Omulu, chorar junto com Oxum, bater palma para Ogum dançar nem buscar consolo no abraço de Yemanjá. Não poderemos sentir o cheiro da alfazema dos vovôs nem os passes dos caboclos, não ouviremos os brados dos boiadeiros nem as risadas dos erês, não teremos as explosões de pólvora dos exus nem acenderemos os cigarros das pombagiras. 

Que lição podemos tirar disso?

A lição que, dentro de nosso coração, já sabemos. Nossos guias e orixás não precisam de nada disso para atuar em nossa vida, para nos proteger e interceder por nós. Eles estão sempre à nossa volta, sempre agindo em nosso benefício. Dentro de sua própria casa, sinta-os perto de você mesmo que não possa incorporar. Louve-os mesmo que não tenha altar montado. Cante para eles mesmo que seus irmãos não estejam à sua volta. Bata palmas mesmo que não possa vê-los.

Eles não precisam se manifestar na matéria nem chegar no terreiro para trabalhar por nós. Somos nós que sentimos essa necessidade da proximidade física, ver, ouvir, abraçar, segurar para acreditar que eles estão ali.  Agora é a hora da maior prova de nossa fé: crer, agradecer e louvar nossos orixás, guias e mentores mesmo que estejam distantes de nossos olhos e ouvidos. 

Nesse momento, no astral, com certeza a mobilização é muito maior que aqui na matéria. Grandes equipes de espíritos de luz se organizam para receber os que chegam, confusos com seu desencarne. Os mentores responsáveis pelos governantes dos países trabalham para orientá-los da melhor maneira possível. Multidões de obsessores tentam a todo custo incentivar os pensamentos de desespero, pânico e desesperança nos encarnados para colocar o planeta em estado de caos. Os guias responsáveis pelos médicos, enfermeiros, farmacêuticos e todos aqueles que trabalham nos hospitais estão se esforçando ao máximo para ajudá-los a aguentar a pressão em cima de suas costas nessa hora.

A cada um de nós cabe manter o pensamento positivo no meio do caos, entrar em oração e não vacilar na nossa fé; a mudança do estágio evolutivo da nossa Terra, que já era esperada e planejada há séculos, finalmente começou.

A causa não poderia ser mais importante; é chegada a hora da renovação do nosso planeta. Assim como nós, o mundo em que vivemos também evolui. Nos próximos anos veremos a Terra deixar de ser um planeta de expiação e provas, onde encarnamos para aprender através do sofrimento. Ela se tornará um planeta em regeneração, onde permanecerão apenas os espíritos prontos para seguir sua evolução sem sofrer, aprendendo somente pelo amor. O mal que vemos agora é uma última limpeza, as últimas dores do parto. Nesse último teste saberemos quem está pronto para continuar na nossa fase da Terra e quem precisará se adaptar de outra forma. Cada espírito tem seu tempo de evolução; os que partirem não devem jamais ser vistos como atrasados. O caminho de cada um não deve ser julgado pelos outros.

O mundo está se mobilizando em solidariedade, em auto sacrifício em benefício do próximo. Estamos recolhidos dentro de nossas casas para nos voltarmos aos nossos próprios pensamentos. É hora de rever nossas atitudes até aqui e o tipo de vida que levamos até esse momento. É hora de pensar no bem estar da própria família e de pensar no próximo, naquele que está sendo atingido de forma muito pior que você; os que adoeceram, os que perderam um familiar, os que perderam seu sustento. 

Os avisos passaram e aqui chegamos. Cada espírito foi merecedor de estar aqui nesse momento. Muitos de nós pedimos muito pela oportunidade de participar dessa prova. 

Espero de coração que cada um de nós possa passar proveitosamente por esse último teste, mas cabe a você refletir; como você se sairá nessa prova?

por

Talita Emrich é médium da Casa de Caridade Portal de Aruanda, terapeuta de nível III do Reiki e estudante de Literatura. Atualmente escreve os artigos sobre a espiritualidade aqui no Pontos de Umbanda.




LEAVE A COMMENT

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.